Aviso do Raposo

Os capítulos seguem uma sequência cronológica que por ordem de postagem estão ao contrário.
Para segui-los na ordem correta cliquem no ARQUIVO DO BLOG em cada capítulo.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

CAPÍTULO 5 - Dona Três Pontinhos

Raposo, O Idoso Odioso

(Dona Três Pontinhos)


Raposo queria fazer as pazes com Matilda.
Nada melhor que uma pequena viagem.
Depois de saber então que existiam hotéis que cobram meia para a terceira idade, agora sim, era mel na chupeta.
Era só entrar no Google e:
HOTÉIS TERCEIRA IDADE – clicar em – PESQUISA GOOGLE e pronto:
Ops, ‘Namoro na Terceira idade’, não isso não, Matilda me mata, não é isso que eu procurando”
“Agora sim, ‘Portal Terceira Idade-Cantinho de Férias’, aqui eu acho um cantinho supimpa.”
“Mas que saco, tem que fazer cadastro.”
Lá foi Raposo,
Nome completo: Raposo Van Shultzer da Silva (porque sua mãe tinha que casar com um da Silva, só pra estragar a categoria de seu nome)
Cidade: Maravilhosa
Estado: Inteirão
Idade: Terceira é claro
Sexo: Em cima
E-mail: não tenho mais
Você está interessado em:
1 - Esporte e Lazer
2 - Saúde e equilíbrio
3 - Meio-Ambiente
4 - Cidadania
5 - Sexualidade na Terceira Idade
6 - Arte e Cultura

“Só pode ser sacanagem me perguntarem isso num cadastro, mas só pode ser 1 e 5 , o resto é coisa de frutinha.”
Pronto, agora era só clicar e ENVIAR.

Erro: Email Inválido
O e-mail '' está informado incorreto. Por favor, volte e informe novamente
.


“Mas eu já falei que não tenho mais essa chatice de e-mail, não dá pra aturar esse bando de gente que não tem o que fazer me mandando PPS.”
E agora, como Raposo iria fazer seu cadastro e escolher os hotéis com metade do preço?
Bem, o jeito era telefonar.
“Bom dia senhor, Viaja Mais Terceira Idade está agradecendo sua ligação. O senhor estará fazendo seu cadastro, pra poder estar escolhendo o seu hotel e poder estar gozando de suas férias completas na terceira idade.”
“Minha filha, eu estarei falando que se você não estiver parando de falar assim eu vou estar dando com o telefone na sua carinha. Estou fazendo você me entender?”
“Senhor, estamos avisando que a partir deste momento vamos estar gravando seu telefonema.”
Filhinha, vocês são adestradas para falar estas besteiras ou falam porque são idiotas mesmo?
“O senhor está querendo me chamar de animal?”
“Isso minha filha, ficou com raivinha, então agora tá tudo certo, você tá com raiva, eu Put... então vamos falar de igual pra igual.”
Enfim, depois de muitos gerúndios Raposo consegue marcar seu Hotel em Caxambú.
Agora é só falar com Matilda com todo cuidado, carinho e amor.
“Querida, meu docinho de coco, este fim-de-semana tenho uma surpresinha pra você...”
“Ai Raposo, eu também tenho uma, mas fala você primeiro.”
“Reservei um hotelzinho pra nós dois em Caxambú, pra dormir juntinho naquele friozinho com lareirinha, vinhozinho, que tal?”
“Ai, Raposo, adorei, mas agora me deixa falar a minha surpresa: Mamãe vem passar o fim-de-semana com a gente, dá pra reservar mais um quartinho neste hotel?”
O mundo de Raposo caiu.
Sua vista escureceu.
Sua garganta secou.
As pernas bambearam.
Até o cabelo perdeu o brilho.
Não pode ser, aquelaquenãosefalaonome vinha passar o fim-de-semana, este fim-de-semana com eles.
Muita falta de sorte, diria que um put... azar.
Há muito tempo que Raposo não pronunciava o nome de Dona Candoca, limitava-se a dizer Dona três pontinhos, pois toda vez que falava este nome a peste aparecia.
DING DONG.
“Pronto, apareceu, quem mandou você escrever este nome dos infernos ai? Maldição.”
Lá foi Raposo, assim como a presa que caminha de encontro a boca do Jacaré, ou melhor da Sucuri.
“Bom dia sogrinha que bom recebê-la em minha humilde residência, de novo.”
Oi mamãe, entra, Raposo sempre engraçado ? Como foi de viajem?”
Toda vez que Dona... vinha visitar Matilda rolava um estresse.
Ela insistia em dar comida pro Jean Claude na hora das refeições, Raposo odiava, Jean Claude amava, Matilda aturava.
Lá vai pedacinho de carne por baixo da mesa.
Lá vai batatinha frita.
“Dona..., Batatinha frita pro gato não, vai matar o coitado.”
“Deixa o bichano comer, tá tão magrinho.”
“Saco” vai Raposo empurrando Jean Claude por baixo da mesa.
Hora de fazer as malas.
Ele não precisava nem fazer a dele, já ia levar uma mala extra ENOOORME.
Raposo procura seu pulôver xadrez e nada.
Seu blazer de veludo e nada.
Sua calça de lã e nada.
Matilda cadê todas as minhas roupas de frio?”
“Meu querido, mamãe levou pra quermesse da igreja, você não usava, estava tudo fedendo a naftalina.”
“Tá de sacanagem. Eu falei é só chegar a coisa ruim que o inferno inteiro sobe de elevador”
Coloca comida extra pro Jean Claude, fecha a casa, pega as malas, liga o alarme, abre a porta do carro, abre a mala do carro, bota as malas na mala, entra a Mala, entra Matilda, por fim entra Raposo, vira a chave e ...
NHEMNHEMNHEMNHEEEMMM.
NHEMNHEMNHEMNHEEEMMM.
O carro não pega.
Abre a porta, sai do carro, abre o capô, suja a mão, mexe num monte de coisa que nem sabe o que é, prende a mão, tira a mão, suja a mão.
Matilda, vira a chave agora”
VRUMMMMM, VRUMMMM
“Pegou, Raposo”
“Deu pra notar, meu bem.”
Pega a estrada, leva cortada, dá outra cortada, sobe serra, desce serra, dobra a direita, curva fechada a esquerda, acelera na reta.
“Raposo, meu genro num corre assim, que eu não quero morrer hoje.”
“Quem me dera, quem me dera...”
“Raposo, o que vc falou pra mamãe.”
“Nada docinho, nada, só cantando.”
Parou.
Parou por que?
Engarrafou.
Meia hora.
Uma hora.
Andou.
Sobe serra, desce serra, curva, curva, outra curva.
enjoando minha filha, pede pra ele parar.”
Parou.
Pipi.
Pastel.
Empada.
Café.
Pagou.
Até a empada da empada.
Ligou o carro.
Ops.
Pneu furou.
Trocou.
Sujou.
Limpou.
Partiu.
Seguiu.
“Já estamos chegando?”
Ignorou.
Chegou.
Raposo, parado na frente do hotel viu seu dia passar em flash, lembrou de tudo desde o abrir de olhos e pensou.
"Só falta agora não ter quarto nenhum reservado."
Acertou.
Desabou.
Pobre Raposo.
Dançou.

9 comentários:

MDuval disse...

Eu estou realmente apaixonada pelo Raposo, Matilda, Jean Claude e, até Dona...

ABÇão
MarGGa

Joao Batista Santos. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joao Batista Santos. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joao Batista Santos. disse...

Pôxa, coitado do Raposa da Silva. rsrsrsrs... Uma sogra empata empada, ninguém merece.

Ainda bem que eu me dou super bem com a mãe da minha esposa e já fui até levar flores pra ela.... É verdade!!... Infelizmente ou felizmente não a conheci encarnada... Mas tem uma coisa que deixou intrigado. Na lápide dela está escrito:
"Vou ali mas já volto"... Será que é praga????... Não, acho que não!... O "coisa ruim" não ia permitir que ela abandonasse a sua secular tarefa de assoprar e manter sempre acesa as brasas da fornalha.

Bjos

Joao Batista Santos. disse...

Errata: Ihhh... Hoje tô errando demais.

É Raposo e não Raposa... Desculpe Raposão. hehehehehe

MAngela Mirault disse...

Hilária a saga dos Raposo!
Ri muito desse episódio que, de alguma forma, alguns raposos e matildes já passaram. Excúrsão pra terceira idade é FRIA!!!!!!

VIVER É DEIXAR MARCAS disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHHAAHAHAHAHA!

Esses episódios VÃO TER que virar LIVRO.
Muito real e muito engraçado,,,assim é a vida!
Aguardo o próximo.
Bjss

meus instantes e momentos disse...

gostei daqui.
E o Raposo dançou.
Apareça.
Maurizio

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Fabiana, parabéns pelo "Raposo" e pela coluna com suas crônicas. Dos poucos contos que já escrevi uso o nome "Ubaldo" para dar vida aos meus personagens tirados do meu próprio cotidiano. Ando meio enrolado por causa das provas trabalhos, mas quando eu voltar vou postar um deles.
Mais uma vez parabéns pelo talento...Um abraço na alma...