Aviso do Raposo

Os capítulos seguem uma sequência cronológica que por ordem de postagem estão ao contrário.
Para segui-los na ordem correta cliquem no ARQUIVO DO BLOG em cada capítulo.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

CAPÍTULO 6 - Agradando a Patroa, Será?


Raposo, o Idoso Odioso


(Agradando a Patroa, Será?)





Então Raposo tinha que, enfim, dar um jeito de fazer as pazes com Matilda, depois de sua romântica e fracassada não-viajem a Caxambú, algo teria que dar certo, afinal de contas ele merecia.

Ele era bom, não chutava cachorro, não comia frango de macumba-muito menos chutava macumba- atravessava velhinhas na rua, não cuspia pra baixo de janela, assistia a Caminho das Índias ao lado de Matilda (sem reclamar), elogiava a comida(horrível) de D..., ele acreditava merecer um lugarzinho no céu, ou, pelo menos, uma trégua divina.

Ao ver o ônibus partindo fez o sinal da cruz, agradeceu a todos os santos, mesmo não sendo católico; era melhor estar em dia com eles lá em cima.

Depois de deixar a coisa ruim na rodoviária, leia-se, Dona... , seu mundo clareou, estufou o peito, ergueu a cabeça e enfim...

Sorriu.

"Uff. Me livrei do encosto, SARAVÁ."

O jeito agora é botar a cabeça pra funcionar e ver qual seria a maneira mais certa de fazer as pazes com Matilda.

"Já sei, um show de algum cantor romântico derrete qualquer coração de mulher. Mas show em casa de show tá um absurdo de caro, mesmo pagando meia."

Isso lhe fez lembrar-se de um pensamento que há muito tempo lhe quicava na cabeça.

"O que é Meia Idade?

Meia-idade é quando tudo está pela metade!

Enxergando mais ou menos, mais ou menos penteado, meio gordo, meiomolemeioduro, ouvindo de um lado só, meio sonolento, e assim vai, meio prá lá, meio prá cá....."

E ele chegou lá.

Meio Tudo.

Mas Raposo não se abateria com isso, Meio é melhor que Nada, e seu Meio era muito, era Tudo.

Raposo era Tudo de bom.

"Nada como um bom marketing pessoal."

Então teve a ideia brilhante de ligar para as Rádios e participar das promoções de Shows, se até o Capitão Silveira, seu velho amigo (lembram dele, da fila do banco, carteado,etc) ganhou ingresso pro Roberto Carlos, porque ele não ganharia?

Então tá, ligou, cadastrou, esperou e ....

"Estamos agora aqui na Rádio A Esperança é a Última que Morre, a sua rádio da terceira idade.

Hoje, amanhã e além, sempre com você. E o ganhador da promoção de hoje é o Sr. Raposo Van Shultzer da Silva."

"Caramba eu ganhei!!!!"

"O Senhor pode passar aqui em nossa rádio e retirar dois convites para o Show da nova estrela da MPB. Jorge Vercillo"

"Putesgrila, não acredito que é esse mala sem alça e sem afinação. Num dá pra aturar né?"

Mas Raposos foi lá pegar os ingressos , porque como diz o nome da Rádio, a dele não morre nunca, e não sabia como, mas Matilda adorava os cachinhos e, o pior, as rimas desse cara.

Lá foram, uma fila quilométrica na entrada.

"Opa, mas, espera ai, eu tenho direito a fila especial, sou idoso."

"Não senhor, especial aqui só o Papa."

"Mas ele não veio, me mandou no lugar dele, quero passar. Vem Matilda, acelera o saltinho alto ponta fina."

"Deixa esse cara passar José, ele deve ser muito importante pra falar assim."

"Mais do que você imagina, pinguim de geladeira."

Entraram.

O duro agora é achar o lugar, G23 e G24.

"Matilda você senta no G24, que pra mim não vai pegar bem sentar nesse lugar, ?"

"Mas peraí o G23 não fica perto do G24, como pode ser, dois ingressos de promoção com umnumseiláquem no meio da gente?"

"Raposo, o pior é que estamos atrás da caixa de som, num vai dar pra ver nada."

Foi assim a noite toda, torturantes 2:00 h de "show", ouvindo aquela vozinha desafinada, sem ver absolutamente nada com um misto de clone do Swashnegger com Tony Ramos, esfregando seus pelinhos, e haja pelinhos, nos seus.

"Sai pra lá meu. Leva essa mata de pulga pra longe, num encosta em mim não, que nojo."

E continua...

"A saudade é que nem maré.. "

"Numseiquelá é que nem maré..."

"Numseiquem é que nem maré..."

" ficando mareado, cala a boquinha nenem, pelamordeDeus, senão vou vomitar."

"Numseioquedenovo é que nem maré..."

"Cacete, se cantar Homem-Aranha eu levanto e pulo a janela."

"Raposo, cala a boca que tá atrapalhando o show."

"Peraí Matilda, essa música já tocou."

"Claro que não Raposo, essa é Monalisa a outra era Devaneio."

"Mas é tudo igual, não é possível que você ache que é diferente. Esse cara tá enrolando todo mundo."

Tudo que é ruim tende a melhorar, mas no caso do Raposo pode até piorar.

Senta na sua frente entre ele e a caixa de som uma perua com um chapéu enorme e com um penacho em cima.

Cutuca a madame.

"Queridinha, vê se você se manca e tira essa tralha da cabeça com peninha de bichinho e tudo, que vou ligar pro Ibama agora mesmo e denunciar vossa senhoria, porque ou você está tentando esconder a sua galhada ou fazendo anúncio de sua hora/serviço?"

"Que é isso, seu abusado, está me chamando de garota de programa?"

"Garota de Programa já deu pra notar que você é, agora, só quero negociar o valor."

Não precisa dizer que Raposo levou uma carteirada de pelica na cara, mas pelo menos se livrou da perua com peninha que foi chorar no banheiro.

"Raposo, sossega que eu quero ouvir a música."

"Música????? Onde tem isso?"

E Matilda começa a cantar junto com o tal.

"Não creio nisso."

Matilda começa a bater palma.

"Batendo palmas, que louca! Num acredito"

Matilda entoou o coro a plenos pulmões.

"Lindo, lindo."

"Não, agora eu me retiro, esperando lá fora, lindo já é demais."

Como toda tortura tem seu final, acabou.

Não viu nada.

Matilda também não.

Aturou aquela vozinha, olhando para uma pena andante numa cabeça de louca e uma caixa de som preta, quadrada e enorme.

"Se era tortura, só pra ouvir esse chato, sem nem ver nada era melhor baixar em MP3 e ouvir no Ipod no sofá de casa. Amarrado."

E o pior ainda era aturar Matilda reclamando que queria ir ao camarim dar um beijo no Vercillo.

"Só por cima do meu cadáver, Matilda."

Aquilo era demais, camarim, autógrafo, só morto.

Resumo, chegou em casa com Matilda bicuda e ele moco, sem ouvir nada direito, só um zumbido, que se ele prestasse bastante atenção, lá no fundinho parecia uma melodia, uma vozinha a dizer algo assim...

"Que nem maré......."


Ninguém merece.

5 comentários:

MAngela Mirault disse...

Coitado do Raposo!
Coitado do Versilo!

VIVER É DEIXAR MARCAS disse...

Tadinho do Raposo.. Essa Matilda é uma chata.

Igor Leal Pena disse...

Obrigado por participar do meu blog. Volte sempre.
Adorei o seu blog.
Te mais.
Ja sou seu seguidor

Deusa disse...

Não tem como não gargalhar ...

Não conhecia esse seu lado

Amei......HAHAHAHAAHAH

MarGGa disse...

Será que algum dia nosso querido e amado Raposo vai dar uma dentro. Esperando e lendo prá ver!!!
ABÇão
MarGGa, do Mol-TaGGe